Ciência para a Inclusão Social

A Europa enfrenta um movimento de populações, imigrantes ou refugiadas, sem precedentes desde a Segunda Guerra Mundial. Muitas crianças e jovens chegam aos países de acolhimento com escolaridade interrompida por circunstâncias adversas, e com dificuldades de aprendizagem acrescidas pelo desconhecimento da língua. Ao criar o programa INTEGRA, a Ciência Viva pretende apoiar projetos inovadores de inclusão pela educação e cultura científica.

Projetos Aprovados

Projeto:

A Física através do Judo - A Ciência e o Desporto pela Integração


Entidade proponente:
CPDJ - Centro Para o Desenvolvimento do Judo

Entidades parceiras:
FCUL - Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Descrição:
As escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico enfrentam hoje os mais variados desafios para a integração dos seus alunos em situação de imigração, de asilo ou deslocação forçada do seu país de origem. O projecto “A Física Através do Judo - A Ciência e o Desporto pela Integração” procura, numa interacção dinâmica e simbiótica, estimular o desenvolvimento, nas crianças, de valores essenciais para o respeito e valorização da diferença. Promovendo a integração escolar e social através de uma combinação improvável entre a Física (ciência) e o Judo (desporto). O facto de o Judo ser um jogo de forças, serve de pretexto para explorar toda a sua ciência, de forma lúdica, pedagógica e memorável. Por outro lado, é um jogo que só é possível com um parceiro, com um amigo. O que é e onde será o centro de gravidade? É o ponto de partida para uma descoberta a dois de vários conceitos de Física, que os alunos do 2º, 3º e 4º ano irão abordar – de uma forma original – através de experiências realizadas com o próprio corpo.



Projeto:

BH-ASI


Entidade proponente:
ASI - Associação de Solidariedade Internacional

Entidades parceiras:
Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia
Escola Básica D. Pedro
Associação de Escolas do Torne e Prado
Centro Social Bom Pastor
Agrupamento de Escolas de Madalena
Agrupamento de Escola Vila Deste
Biblioteca Municipal Almeida Garret - Porto
Biblioteca Municipal Pública do Porto
Associação dos Guineenses do Porto
Associação Portugal Moçambique
Associação Amizade Imigrantes de Gondomar

Descrição:
A necessidade de integrar de forma adaptativa evitando estereótipos relativamente à imigração e refugiados é de grande importância no contexto atual numa lógica de intervenção preventiva de caracter sistémico. É inegável que a cultura desempenha uma influência tremenda nos estereótipos e papéis sociais vigentes dos vários intervenientes. Face a isto, é necessário favorecer o dialogo intercultural e integração das diferentes culturas intervindo em faixas etárias mais precoces, assente numa relação baseada no respeito pela diversidade e no enriquecimento mútuo. Uma forma de o fazer é permitindo a consciencialização das crianças e jovens para ações que visem o diálogo, convívio e integração na sociedade de acolhimento. Assim, com o Projeto BH-ASI pretende-se promover uma sociedade mais inclusiva num contexto inegavelmente desfavorável devido por um lado ao seu desenraizamento cultural resultante nalguns casos de situações de crise, seja ela social, politica, económica.



Projeto:

Crianças Ciganas Com Ciência - C4


Entidade proponente:
Centro Ciência Viva do Algarve

Entidades parceiras:
Fundação António Silva Leal - Centro Comunitário Horta da Areia
AAPADCM Associação Algarvia de Pais e Amigos de Crianças Diminuídas Mentais Projeto FLICC - Faro Localidade Integradora da Comunidade Cigana
Associação Oficina Ciência Viva de Tavira (Centro Ciência Viva de Tavira)

Descrição:
O projeto C4 - Crianças Ciganas com Ciência baseia-se na apropriação pelas crianças ciganas de conceitos científicos e tecnológicos, não pela aquisição de conhecimentos per se mas sim pelo despertar do interesse para esses conceitos e pela pertinência e necessidade da sua aquisição. Esta abordagem participativa para o desenvolvimento de atividades mão-na-massa de tipo “tinkering” é utilizada para e com as crianças ciganas do 1.° ciclo entre meio rural e citadino, em contextos informal e não-formal tanto na escola como no centro comunitário e nos centros ciência viva. Este tipo de literacia científica e tecnológica permite a integração e inserção social construindo interesses pessoais na aprendizagem e consequentemente conexões entre seres com competências e experiências diferentes.



Projeto:

Side by Side


Entidade proponente:
Cáritas Diocesana de Lamego

Entidades parceiras:
IPV-ESTGL - Instituto Politécnico de Viseu - Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego

Descrição:
O projeto Side by Side pretende contribuir para a integração e inclusão de crianças e jovens (e respetivas famílias) migrantes e/refugiadas, nos concelhos abrangidos pela Diocese de Lamego, através de 3 vertentes principais: 1. criação e manutenção de uma plataforma eletrónica - para a disponibilização (open access) de conteúdos para todos os docentes do ensino básico e secundário, para promover uma melhor integração dos alunos no ensino nacional 2. formação certificada dos professores do ensino básico e secundário, nos mesmos conteúdos disponibilizados na plataforma 3. realização de atividades lúdicas, culturais e recreativas que facilitem a integração dos migrantes nas comunidades de acolhimento, permitindo também uma maior sensibilização das próprias comunidades para a problemática dos migrantes e refugiados.



Projeto:

Fórum Ciências 2.º Torrão


Entidade proponente:
Canto do Curió Associação Cultural

Entidades parceiras:
Junta da União de Freguesias de Caparica e Trafaria
FRAME408 Associação Cultural
Cova do Mar
Centro de Filosofia das Ciências da Universidade de Lisboa
Atelier des Jours à Venir

Descrição:
O Fórum Ciências 2.º Torrão encontra-se na continuidade do trabalho comunitário do projecto de ciência cidadã Novos Decisores Ciências no bairro informal do 2.º Torrão, em Trafaria, Almada. Acredita-se que a investigação científica pode ser usada como ferramenta de capacitação e inclusão social. Neste processo, foi iniciada uma investigação colaborativa que lida com a erosão costeira. O plano proposto cria: Um processo de co-construção dum espaço de encontro num espaço físico comum. Fóruns entre habitantes, investigadores e mediadores para conhecer e discutir o problema, pelos factos estabelecidos e pelas suas incertezas e complexidade. Mais, reforça-se o papel das crianças através da organização de um campo de férias exploratório do património geológico e biodiversidade do território.



Projeto:

Ciência d´Afetos


Entidade proponente:
Associação Portuguesa de Apoio à Vítima

Entidades parceiras:
Associação Oficina Ciência Viva de Tavira (Centro Ciência Viva de Tavira)

Descrição:
O tráfico de seres humanos (TSH) é uma séria violação dos direitos humanos, gerador de impactos devastadores nas suas vítimas. Fruto da quebra de suportes familiares e comunitários, as vítimas de TSH vêem-se completamente sós, num meio que lhes é hostil e onde os apoios são, em regra, escassos. A pobreza e exclusão social são quer fatores de risco quer consequências deste crime, aos quais, no caso das crianças, acrescem ainda dificuldades de integração escolar. Aliando, de forma inovadora e divertida, a ciência e a tecnologia ao dia-a-dia de crianças e jovens vítimas de TSH e suas mães, a par da sensibilização da comunidade em que se encontram inseridos, o Projeto Ciência d’Afetos contribuirá para a inclusão destas crianças e das suas mães e para a sua proteção e eventual (re)exposição a novas formas de violência.



Projeto:

Lisboa do outro lado do espelho


Entidade proponente:
Associação Cultural Moinho da Juventude (ACMJ)

Entidades parceiras:
Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES)

Descrição:
O silenciamento das histórias de África, parte integrante da experiência de vida de muitos dos moradores da Cova da Moura, está incluído no processo de reconstrução democrática da sociedade portuguesa. Este projeto, fruto de uma parceria entre a ACMJ e o CES, procura promover um diálogo entre a história ‘oficial’ de Lisboa e a história de África, a filosofia e as literaturas africanas, numa combinação com histórias de vida de moradores da Cova da Moura. É objetivo deste projeto contribuir para uma leitura mais complexa e densa de Lisboa, ultrapassando os silenciamentos e omissões sobre a participação constitutiva dos africanos nesta cidade.



Projeto:

Currículo para a Resiliência – RESCUR em Ação


Entidade proponente:
Associação Aventura Social

Entidades parceiras:
Agrupamento de Escolas Azevedo Neves
Inet-Md – Polo FMH do Instituto de Etnomusicologia- Centro de estudos em música e dança
Comissão de Crianças e Jovens da Amadora
Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Almada

Descrição:
Em escolas com alunos migrantes e/ou refugiados, pretende-se o desenvolvimento de recursos para lidar com as adversidades, na comunidade escolar e famílias. O RESCUR tem uma abordagem ecológica e sistémica, com práticas inclusivas e integradoras que fomentam a inclusão destas crianças, estreitando as relações com os colegas e professor, estimulando a troca cultural e científica. O projeto inclui formação, supervisão e guias orientadores para pais e professores, 3 manuais de atividades (pré-escolar, 1º e 2º ciclo) com atividades que desenvolvem competências de resiliência, com impacto no capital social, saúde mental e sucesso académico. A avaliação do projeto é de tipo misto pré e pós, com avaliação intercalar, culminando com a redação de um artigo de forma a disseminar resultados.



Projeto:

Common Knowledge


Entidade proponente:
Fundação Aga Khan Portugal

Entidades parceiras:
CIES-IUL - Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa

Descrição:
Produção cooperativa de conhecimento sobre territórios com forte presença imigratória e alvo de exclusão social, através: 1) Envolvimento das comunidades e jovens em contexto migratório; 2) “abertura” das instituições científicas a processos orgânicos de produção de conhecimento; 3) envolvimento de ONG’s e atores da política local; 4) capacitação de jovens dessas comunidades. A construção do caráter “comum” da produção de conhecimento passará por atividades como: retiro (jovens, cientistas e outros), debates, na academia e nas comunidades_ registo e disseminação multimédia das acções do projecto, entrevistas dos jovens aos mais velhos dos territórios; inquérito por questionário às comunidades; criação e dinamização de espaço on-line, sessões públicas de partilha dos resultados.



Projeto:

Grandes Cientistas


Entidade proponente:
Associação para a Promoção do Desenvolvimento Juvenil

Descrição:
Por uma sociedade mais inclusiva e que destaca a importância da partilha, o projeto Grandes Cientistas, surge como uma partilha de conhecimentos entre cientistas de palmo e meio. O projeto Grandes Cientistas, integrado numa Associação que une várias escolas, pela sua prestação de serviços, terá como principal objetivo formar pequenos cientistas em clubes de ciência, que irão partilhar a informação adquirida com os colegas de outras escolas a que nos dirigimos. Podemos considerar que este projeto cria a sua própria sustentabilidade, formamos os futuros formadores que irão permitir que o projeto cresça e motive outras crianças para o conhecimento do fantástico mundo da ciência.



Projeto:

A ciência de um baile de mastro


Entidade proponente:
PédeXumbo - Associação para a Promoção de Música e Dança

Entidades parceiras:
TAIPA
Associação Centro Ciência Viva de Estremoz

Descrição:
Os mastros atualmente associados às Festas de São João, em Portugal, têm origem no costume pagão de levantar o mastro de maio, ou a árvore de maio, costume que ainda está vivo em algumas partes do globo. De país para país, de região para região, o mastro assume características próprias e esse carácter transcultural torna-o um elemento agregador de um projeto que pretende unir pessoas de diferentes culturas, ajudando a quebrar barreiras que normalmente existem entre pessoas, principalmente quando algumas delas se encontram em situação fragilizada, situação dos migrantes. Por outro lado, os bailes dos mastros são uma metáfora perfeita para divulgar Ciência. Com efeito o deslocamento circular dos participantes em torno de um objecto central aparece como uma analogia perfeita de uma série de sistemas naturais, desde o muito pequeno (por exemplo os electrões orbitando o núcleo dos átomos), até ao muito grande (onde os vários planetas se deslocam em movimentos circulares em torno da nossa estrela… o Sol). Comu



Projeto:

Bairros com Ciência


Entidade proponente:
Centro Cultural Africano

Entidades parceiras:
Instituto Superior de Engenharia de Lisboa
Bué Fixe-Associação de Jovens

Descrição:
A educação e a cultura científica e tecnológica são ferramentas cruciais na promoção da inclusão social. Há, no entanto, comunidades de imigrantes em que a inclusão na sociedade portuguesa é ainda difícil. Por exemplo, no bairro da Bela Vista em Setúbal e na zona de Amadora em Lisboa, o número de jovens que abandonam a escola precocemente é preocupante. O Centro Cultural Africano (CCA) e a Bué Fixe-Associação de Jovens (BF) são duas entidades que desenvolvem atividades nessas comunidades. Neste projeto, Bairros com Ciência, pretende-se contribuir para uma melhor inclusão através de actividades experimentais, em diferentes áreas científicas, a desenvolver no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL), no CCA e na BF. O projeto prevê a formação e o acompanhamento de jovens dos respetivos bairros com vista à constituição de pequenos laboratórios de ciência e tecnologia, coordenados pelas próprias comunidades com tutoria do ISEL.



Projeto:

Rotas Científicas para uma Integração Intercultural


Entidade proponente:
Centro Ciência Viva de Bragança (CCVB)

Entidades parceiras:
Escola Superior de Educação de Bragança (ESE) - Instituto Politécnico de Bragança (IPB)

Descrição:
A presente candidatura enquadra-se no concurso de âmbito nacional da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica – Ciência Viva “INTEGRA”. Na demanda contínua de novas estratégias que procurem construir uma sociedade ativa envolvida na busca de soluções de utilidade social, a equipa multidisciplinar do CCVB em estreita colaboração com a ESE-IPB (Escola Superior de Educação - Instituto Politécnico de Bragança), elenca como objetivo geral deste projeto envolver uma comunidade de jovens provenientes de PALOPS residentes em Bragança, assente no cruzamento entre ciência, tecnologia, cultura e criatividade. Assim, de uma forma interventiva e continuada, serão disponibilizadas diversas atividades, de complemento curricular e pedagógico, facilitando, pela via da educação científica inclusiva, o desenvolvimento independente destes cidadãos, ao nível académico, social, pessoal e socio-emocional.



Projeto:

A Nossa Casa é Verde


Entidade proponente:
Associação Integrar (AI)

Entidades parceiras:
Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (JBUC)
Agrupamento de Escolas Coimbra Centro

Descrição:
O Projeto “A Nossa Casa é Verde” integrará pelo conhecimento daquilo que todos temos em comum: o mundo construído pelas plantas. Das paisagens naturais às árvores por que passamos nas ruas, da nossa alimentação à roupa que vestimos, as plantas são elementos omnipresentes na nossa vida e que definem o nosso bairro, a nossa cidade, o nosso país. Conhecê-las faz-nos sentir em casa. As crianças e jovens afastados dos seus países de origem, em conjunto com os seus colegas portugueses, estarão em contacto direto com a diversidade de plantas presentes no Jardim Botânico da UC, germinarão as suas próprias plantas na Quinta dos Olivais e falarão das suas experiências a todos. Em simultâneo, pretende-se valorizar a experiência e o conhecimento botânico das comunidades deslocadas.



Projeto:

KEY 1.0 - A chave da compreensão científica abre as portas da inclusão


Entidade proponente:
Movimento SOS racismo

Entidades parceiras:
Rede Inducar
Faculdade de Psicologia, Educação e Desporto da Universidade Lusófona.
Rádio Manobras
Faculdade de Ciências Naturais, Engenharias e Tecnologias da Universidade Lusófona.

Descrição:
A discussão construtiva é alicerce do respeito mútuo e, segundo sólida evidência, a chave para a compreensão da ciência. Este processo é eleito com um duplo objectivo: promover pensamento científico e um clima acolhedor face a migrantes e refugiados. KEY pretende capacitar jovens migrantes tornando-os protagonistas e porta-vozes dum projeto ambicioso e promover um clima cooperativo em torno de uma meta comum e inspiradora. Os jovens migrantes, com a colaboração da turma, aprofundarão um tema da física discutindo com os pares e documentando o processo. Serão ainda desafiados a dinamizar uma campanha para um entendimento mais aprofundado e empático do fenómeno da migração e para expandir, debater, criticar, melhorar e replicar KEY, e, como efeito colateral, para inovar o ensino da ciência.



Ao abrigo do programa INTEGRA, foi tornado público pela Ciência Viva um convite à apresentação de candidaturas por instituições sociais e culturais sem fins lucrativos para, em articulação com instituições científicas e de ensino superior, museus, centros de ciências e escolas, promover acções de inclusão social de crianças e jovens em contextos de migração ou de deslocação forçada dos seus países de origem.

OBJETIVO

Apoio a projetos que usem a educação e a cultura científica como suporte à inclusão de crianças e jovens em contextos de migração, asilo ou deslocação forçada.

ATIVIDADES
ALGUMAS SUGESTÕES

  • Contato direto e pessoal com profissionais da ciência e da tecnologia
  • Atividades conjuntas com museus e centros Ciência Viva
  • Atividades de ciência e cultura que promovam o envolvimento de famílias e comunidades num contexto de diversidade cultural
  • Valorização da experiência, cultura, tecnologia e conhecimento das comunidades migrantes ou deslocadas
  • Apoio aos professores na sua ação educativa com crianças e jovens em contexto de migração ou com o estatuto de refugiado ou deslocado