LABORATÓRIOS DE PARTICIPAÇÃO PÚBLICA

Uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, com a Ciência Viva, para uma participação activa dos cidadãos na definição da agenda nacional de ciência e tecnologia











OBJECTIVOS

Laboratórios de Participação Pública

  • Auscultar os cidadãos, instituições públicas e privadas e organizações governamentais e não governamentais, em estreita colaboração com investigadores, docentes e estudantes do ensino superior


  • Criar espaços abertos e plurais de reflexão e debate sobre a produção e difusão do conhecimento


  • Aproximar os investigadores da população em geral e em especial dos seus jovens


  • Estimular processos de participação pública na definição de agendas de desenvolvimento científico, tecnológico e cultural.

Laboratórios de Participação Pública
O que são

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
Uma iniciativa para a promoção pública do conhecimento, em colaboração com a Ciência Viva


Os Laboratórios de Participação Pública são uma iniciativa piloto promovida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em colaboração com a Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, com o objectivo de estimular o envolvimento público na construção de agendas de investigação e inovação e no debate de políticas públicas para a ciência e tecnologia e a difusão do conhecimento.


A iniciativa inclui a promoção de espaços abertos e plurais de reflexão e debate sobre a produção e difusão do conhecimento, assim como a audição sistemática de cidadãos, instituições públicas e privadas e organizações governamentais e não governamentais, em estreita colaboração com investigadores, docentes e estudantes do ensino superior.


Os Laboratórios de Participação Pública estão inicialmente estruturados em torno de dois grandes eixos de trabalho, designadamente: i) o desenvolvimento de agendas temáticas de investigação e inovação (incluindo o desenvolvimento das cidades, da eficiência energética, do sector agro-alimentar e florestas, da industria, das tecnologias espaciais, de conteúdos culturais, ou de sistemas ciberfísicos, entre outros); e ii) a valorização do conhecimento para o desenvolvimento de regiões e/ou contextos urbanos, tendo por base a discussão de especificidades e realidades locais.


Os Laboratórios de Participação Pública vêm assim dar corpo a uma nova agenda política, empenhada no envolvimento das instituições de ciência e de ensino, dos empregadores, dos atores sociais e económicos, públicos e privados, numa relação cúmplice da sociedade civil para pensar o nossos futuro colectivo. São motivados pelo facto da produção e difusão do conhecimento requerer hoje novas abordagens, claramente inclusivas, que possam dar resposta a um aprofundamento da construção de uma cidadania activa que possa encontrar eco em novos modelos de construção das políticas públicas.


Os Laboratórios vêm reforçar a necessidade de persistir num esforço contínuo de apoio à actividade científica, às suas instituições, e aos mecanismos de relacionamento e proximidade com a sociedade. Têm ainda como objectivo aproximar os investigadores da população em geral e em especial dos seus jovens, estimulando processos de participação pública na definição de agendas de desenvolvimento científico, tecnológico e cultural.


A iniciativa foi lançada publicamente em Bragança, sexta-feira | 29 de Janeiro, com uma sessão dedicada a debater desafios e oportunidades do “Nordeste Transmontano como uma Região do Conhecimento”, organizada em estreita colaboração com a Câmara Municipal de Bragança, a CIM Trás-os-Montes e o Instituto Politécnico de Bragança.


Laboratórios de Participação Pública

LABORATÓRIO DESPORTO E AVENTURA

Discutir a criação uma Plataforma Tecnológica para o Desporto, Aventura e Desenvolvimento Humano. Esta plataforma será constituida por um consórcio alargado entre clubes e associações locais, clubes desportivos, parques naturais, empresas locais e o Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano do IPB, valorizando e reforçando a pratica de desporto e o desenvolvimento humano no Nordeste Transmontano.

Centro Ciência Viva | Bragança | 30 de Abril

LLP MEDIA

O Laboratório Novos Conteúdos e Media, do Nordeste Transmontano, é um grupo de discussão informal focus group, dinamizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, com o apoio da Ciência Viva (Centro CV de Bragança) e de outras instituições da região, como a Câmara Municipal, o Instituto Politécnico de Bragança e a CIM-Terras de Trás-os-Montes.

Centro Ciência Viva | Bragança | 21 de Maio

SAÚDE E BEM-ESTAR

Gerontologia | AlfâNdega da Fé | 11 de Maio

Apresentação Pública

Bragança, 26 Janeiro

TRACÇÃO ANIMAL E INOVAÇÃO

Ideia vencedora

- Contribuir para a modernização das técnicas tradicionais presentes na região, permitindo a entrada no mercado de bens e serviços associados competitivos, promovendo o consumo interno e evitando a importação de modelos alheios à população local,favorecendo a aceitação do processo de modernização por parte da comunidade.


O PROJECTO

IPB | Bragança | 13 de Maio

ESCOLA DE NEGÓCIOS

NERBA | Bragança | 11 de Abril

Concursos de Ideias

Regulamento

NORDESTE TRANSMONTANO

Região de Conhecimento
Apresentação Pública | 26 Janeiro

PROJECTO LHANA

Ideia vencedora

LHANA® (significa lã em Mirandês) e é uma marca que foi criada e registada para corporizar uma série de produtos diferenciadores cuja matéria-prima é a lã de ovelhas de raças autóctones Portuguesas.


O PROJECTO

IPB | Bragança |13 de Maio

INOVAÇÃO EMPRESARIAL

Brigantina Ecopark | 26 de Abril

PROJECTO CASTANEA

Ideia vencedora

Sob a marca Decani Design, com produção da empresa Publidigi, a cadeira “Castanea” foi previamente idealizada para um contexto contemporâneo e direccionada a um mercado de classealta; no entanto o seu design diferenciador adapta-se a vários tipos de ambiente.Esta é uma cadeira ergonómica, flexível e inovadora, com design distinto.A Castanea, foi desenvolvida, tendo como objectivo a possibilidade de ser produzida localmente, com materiais e técnicas, que não as habitualmente utilizadas pelos standards de produção industrial.Sem recorrer a mecanismos artificiais, a Castanea revoluciona o conceito de “cadeira lounge”. Este atributo é-lhe conferido através da flexibilidade natural da cortiça, que proporciona um balancear equilibrado, natural e intuitivo.


O PROJECTO

IPB | Bragança |13 de Maio